Público se encanta com ecletismo do Figo 2014

Texto: Déborah Gouthier

A cidade de Pirenópolis recebeu nesta sexta-feira, 19, a primeira noite de shows da segunda edição do Festival Internacional de Música em Goiás (Figo). Das 33 atrações programadas para o festival, quatorze se apresentam na cidade, sendo sete em cada dia. O público se encantou com o ecletismo e a diversidade das apresentações, que reforçaram o conceito do Figo de intercambiar a música instrumental e erudita com a cultura popular.

As apresentações da noite tiveram início com o show do Grupo Euterpe. Com pandeiro, violão de sete cordas e clarinete, eles fazem um resgate dos chorinhos que marcaram a história da cidade de Pirenópolis. Em sequência, foi a vez de Evaldo Robson Quarteto entusiasmar a plateia com um repertório que foi de Pixinguinha a Astor Piazzolla, orientados pelo saxofone e flauta de Evaldo Robson. Ele finalizou o show com um belo pot-pourri em celebração à música brasileira.

O violonista Jorge Luiz também subiu ao palco e se apresentou com a casa cheia. Ele tocou alguns solos de violão, incluindo clássicos como os de Heitor Villa-Lobos. Muth Lopes e Banda foram os representantes da música produzida em Anápolis. O compositor e violonista apresentou canções autorais, que estão presentes em seu último disco, gravado ainda neste ano. Por fim, foi a vez do baterista pirenopolino Ricardo de Pina, que se apresentou em quarteto, em um show para honrar a sua cidade natal.

O público prestigiou e apoiou o evento, lotando o Teatro Sebastião Pompeu de Pina e o Cine Pireneus – edifícios históricos e de imenso valor cultural para a cidade, que receberam alguns dos shows. As últimas apresentações da noite foram no Palco do Rosário, montado acima da Rua do Lazer, que tem fluxo constante de turistas e moradores.

Apoio e Patrocínios

Sponsor #1