Argentinos da Escalandrum são atração do Figo 2014 em Goiânia

Texto: Déborah Gouthier

Um sexteto argentino, de música instrumental e cujo fundador é neto do reinventor do tango, Astor Piazzolla. Em 1999, Daniel “Pipi” Piazzolla quis montar um grupo capaz de englobar a cor de sua Argentina de origem ao jazz contemporâneo. Assim se formou o Escalandrum, atração do último fim de semana do Festival Internacional de Música em Goiás (Figo), edição 2014.

O nome do grupo reflete um tanto da originalidade que embala a som das composições do sexteto. Escalandrum é a mistura da palavra escalandrún, um tubarão que Daniel pescava em uma tradição familiar, e drum, que significa tambor em inglês. Apesar da forte influência musical herdada do avô, o grupo segue em uma carreira sólida e ativa, norteada pela criatividade. Os resultados são os melhores possíveis: oito discos lançados; turnês em cerca de 40 países em todo o mundo; uma indicação ao Grammy Latino em 2012; os títulos de melhor álbum do ano e melhor álbum de jazz para o disco Vértigo, pelo prêmio Gardel de 2014, que também os premiou com o Gardel de Ouro, pela trajetória.

É um pouco dessa carreira de sucessos que o sexteto traz para o Figo 2014, em um show que tem espaço para o processo criativo e todo o talento dos integrantes. “A música está escrita, mas também há espaço para a improvisação, para a expressão do momento. O Escalandrum se move, muda”, explicam. Além de Daniel Piazzolla, que assume a bateria, o grupo é composto por Nicolas Guerschberg no piano e composições, Mariano Sivori no contrabaixo, Gustavo Musso no sax alto e soprano, Damian Fogiel no sax tenor e Martin Pantyrer no sax barítono.

No Figo 2014, o grupo argentino se apresenta no Centro Cultural Oscar Niemeyer, em Goiânia, no dia 26 de setembro. O show antecede uma apresentação histórica que está sendo preparada para o dia 02 de outubro, no Teatro Coliseo, em Buenos Aires, quando o Escalandrum celebra seus 15 anos de carreira.

 

 

Apoio e Patrocínios

Sponsor #1